Coletivos de EcoSol da População de Rua seguem gerando renda e cidadania

O projeto Economia Solidária com Populaçãoem Situação de Rua foi realizado nos municípios de Porto Alegre e Canoas em parceria com a Escola Municipal Porto Alegre – EPA, com os CAPS Amanhecer e Travessia e com o Movimento Nacional da População de Rua /RS. o Objetivo do projeto foi criar ou fortalecer coletivos de trabalho a partir dos princípios da economia solidária, gerando e potencializando a emancipação humana.

Ao final do projeto, em novembro de 2017, foram constituídos e fortalecidos 3 coletivos: o Coletivo CERTU de Canoas, que produz sabão artesanal através do reaproveitando de óleo de cozinha e funciona junto ao CAPS Amanhecer; o coletivo ArtePapel, que produz papel artesanal e cerâmica de Porto Alegre que funciona em parceria com a EPA; o coletivo Fundo Solidário Resistência do Movimento Nacional da População de Rua / RS, que produz botons, camisetas, canecas, fotografias, postais entre outros produtos.

Neste mês de junho tivemos a satisfação de visitar os três coletivos, que continuam dando frutos, gerando renda, cidadania e emancipação humana. O coletivo CERTU além de continuar produzindo, está participando do Fórum Municipal de Economia Solidária de Canoas e integra a Rede de Comércio Justo e Solidário, assim como o ArtePapel que continua a produzir, comercializar e vivenciar os princípios da ECOSOL. Todas as terças o ArtePapel comercializa na Feira contraponto da UFRGS e participa de diversos espaços de comercialização em parceria com outras entidades. Já o Fundo Solidário Resistência PopRua, contribuiu pra realização do IV Congresso Nacional da População de Rua, que ocorreu em maio deste ano, com parte do recurso arrecadado sendo disponibilizado para dar conta da estrutura do Congresso. Outra conquista do Movimento, também com o recurso do Fundo e trabalho dos militantes  é o aluguel de um espaço para sede do Movimento, ponto de encontro da galera e local de produção para continuar gerando renda.

Entendemos que ainda há muito pos fazer, mas a continuidade ao trabalho de cada coletivo  fomentado através do projeto Economia Solidária com População em Situação de Rua, desecnvlvido pelo Camp entre 2015 e 2017, traz uma alegria e satisfação enormes. Queremos então, reafirmar a parceria estabelecida, reforçar que estamos juntos para luta entendendo sempre de quem é o lugar de fala, baseado no respeito mútuo. Gratidão é a palavra para todas e todos que tornaram e tornam possível garantir direiros e cidadania ao povo da rua.

Por Gilciane Neves.

Imagens do Coletivo CERTU

Fotos Coletivo ArtePapel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*