FORMAS SOLIDÁRIAS DE FAZER ECONOMIA – Curso à Distância com inscrições prorrogadas


O Curso ocorrerá de 24 de abril até 25 de junho de 2018

INSCRIÇÕES PRORROGADAS ATÉ 1° DE ABRIL!

Informações Gerais
Período do curso: 24 de abril até 25 de junho de 2018
Modalidade EaD (on line) – carga horária de 60 horas (em 9 semanas), com média de 6 horas de estudo/atividade por semana.
Prazo de inscrição: até 28/03/2018
Divulgação do resultado até dia 10/04/2018
Email para contato: formacao@abong.org.br e helenabinsely@gmail.com

Apresentação
Este curso foi montado a partir das experiências que diversas pessoas e coletivos têm na vivência de formas solidárias de fazer economia, falando sobre o que é economia solidária, qual a sua história, os seus princípios, os sujeitos coletivos que compõem a economia solidária, os seus instrumentos, redes, cadeias, finanças, comércio e produção, dicas para a constituição e fortalecimento de empreendimentos econômicos solidários, sua relação com a educação popular e as políticas públicas voltadas ao fortalecimento da economia solidária. O Curso faz parte do projeto Sociedade Civil Construindo a Resistência Democrática, apoiado pela União Europeia e desenvolvido em parceria com a Abong, CESE e CFEMEA.
Os conteúdos do curso estão organizados em vídeo-aulas e pequenos textos, produzidos por educadores/as com experiência, e depoimentos de pessoas que vivenciam a economia solidária e mostram como ela tem mudado vidas, comunidades e realizado pequenas, mas significativas, transformações sociais.
Em cada módulo do curso há pausas pedagógicas para a reflexão. Nessas pausas você será convidada/o a participar de momentos de debate virtual nos fóruns da nossa sala de aula virtual com as/os demais colegas da turma, e para cada módulo haverá também atividades individuais de produção textual que nos orientará sobre como acompanhar cada educanda/o de forma mais personalizada ao longo do curso.
Além dos fóruns para debate dos temas apresentados, há também um fórum virtual exclusivo para o compartilhamento das dúvidas e sugestões com as/os colegas e com a/o tutora/o.

Apoio:

Proposta
Objetivo do curso: Proporcionar reflexões sobre as práticas de economia solidária e sua capacidade de resistência democrática num momento de desmantelamento de direitos e políticas construídas ao longo dos últimos anos. Fortalecer laços entre sujeitos de diferentes regiões do país que buscam formas alternativas e solidárias de fazer economia.
Carga horária: 60 horas a distância – EaD/online (em 9 semanas), com média de 6 horas de estudo/atividade por semana.
Vagas: 60
Perfil do Público: pessoas que trabalham na perspectiva de fortalecer formas alternativas e solidárias de fazer economia, participando de empreendimentos solidários (finanças, agricultura, serviços, artesanato, reciclagem, alimentação, confecção, etc), entidades de apoio ou na gestão de políticas públicas.
Requisito: É necessário que o/a inscrito/a seja indicado por algum coletivo solidário, organização da sociedade civil (OSC) ou órgão público que atue em políticas de incentivo a formas alternativas e solidárias de solidária.

Conteúdos e Módulos:
Módulo 1 – Economia Solidária: Origens, Princípios e Sujeitos
História da economia solidária desde as suas origens até a sua constituição mais recente aqui no Brasil; princípios que orientam essas práticas e sujeitos coletivos que as mobilizam.
Módulo 2 – Educação Popular e Economia Solidária
Conceitos básicos da educação popular, sua história que se entrelaça com a história da economia solidária; princípios da educação popular e dicas metodológicas voltadas ao fortalecimento de coletivos.
Módulo 3 – Conceitos Básicos da Economia Solidária
Conceitos básicos da economia solidária, sua relação com a territorialidade, a força da articulação em redes e cadeias, as potencialidades das finanças solidárias e a da comercialização através do comércio justo solidário e do consumo consciente.
Módulo 4 – Como Organizar um Coletivo de Economia Solidária
Com dicas práticas, um passo a passo de como conduzir as discussões num grupo que está se constituindo ou quer se fortalecer; dicas de como formalizar um coletivo solidário e de como mobilizar recursos para o seu fortalecimento.
Módulo 5 – Economia Solidária como Resistência ao Capitalismo
A radicalidade da economia solidária na contraposição ao modo capitalista e os principais dilemas que a sociedade capitalista vem reproduzindo há séculos e que devem ser superados através das práticas da economia solidária: os cuidados com o meio ambiente, a construção de novas relações de gênero, etnia e de trabalho que superem as relações hierárquicas de mando e obediência.
Módulo 6 – Economia Solidária e Políticas Públicas
Breve histórico e estratégias das políticas públicas voltadas ao fortalecimento da economia solidária; leis criadas para fortalecer a economia solidária e os canais que os movimentos populares podem acessar para incidir na formulação de políticas e na definição dos orçamentos públicos.

Como Participar:
Para fazer sua inscrição, acesse aqui.

Prazo de inscrições até às 23h59 do dia 28 de março de 2018. A partir das inscrições, será realizado um processo de seleção, com base em critérios de equilíbrio geográfico e diversidade de experiências em economia solidária.
O resultado da seleção será divulgado até o dia 10 de abril de 2018.
A formação é gratuita e o/a selecionado/a deve assumir o compromisso de participação e realização das atividades.

Qualquer dúvida entre em contato através do e-mail: formacao@abong.org.br ou helenabinsely@gmail.com

34 comentários sobre “FORMAS SOLIDÁRIAS DE FAZER ECONOMIA – Curso à Distância com inscrições prorrogadas

  1. Muito bom ficar a par desse tema que é tão presente no nosso cotidiano.

  2. Pretendo fazer a formação, pois já sou integrante da Ecosol, através dos Fóruns Metropolitano e Gaúcho, participar da troca de experiências.

  3. Quero muito participar e me comprometo cem participar ne realizar as atividades, e para tal preciso de maiores i formaçoes
    Agradecida
    Laurinda

  4. Quero fazer o curso, vcs estão de parabéns. Até.
    Luiz Antunes

  5. Hola! Muy interesante. Podemos inscribirnos estudiantes de Argentina? Trabajamos en la universidad nacional de Quilmes (UNQ) en un proyecto de economía social y solidaria. sería muy interesante el intercambio.
    Muchas gracias!
    Bárbara

  6. Me entusiasma la propuesta porque urge organizar en las comunidades una economia solidaria que acompañe y empodere la vida cotidiana.

  7. Bom, quero saber se este curso, tem algum valor. Ou é gratuito? Participo da Economia Solidária de São Leopoldo e ampliar o conhecimento só tem acrescentar.

  8. Tenho muito interesse em fazer parte e me apropriar deste seguimento…
    Sou Pedagoga e trabalhei muito na área da crança/adolescente como: Conselho Tutelar e instituição de atendimento a criança/adolescente..
    Acompanhei o grupo de economia solidária da Univens.

  9. Olá tenho interesse de fazer parte deste curso.

  10. Gostaria muito de participar desse curso pois estamos montando um grupo de mulheres que buscam o empoderamento feminino e financeiro através do artesanato e da Economia Solidária

  11. Gostaria muito de fazer esse curso, quero agrega mais conhecimento, para meu trabalho na sociedade civil secretaria na AAFET ( Associação de Agricultor e Agricultoras família na comunidade de Engenho Velho e Tabuleiro da Santa )

  12. Thereza Cristina Rodrigues dos Santos

    Hoje estou como Diretora Presidente do Movimento Permanente de Mulheres- MP Mulheres e como coordenadora Geral do Fórum de Economia solidária de Belford Roxo – FESBEL, com isto tenho grande necessidade de me qualificar melhor para poder repassar e preparar nossa militância.

  13. Rosangela Souza Soares de Albergaria Medeiros

    Acho importante este Curso porque ele nos reeduca a forma de economia, como também é uma forma para Geração de Renda. Então acrescenta conhecimentos e da condições de uma vida saudável e com uma forma de remuneração para as nossas vidas.

  14. Agradecemos a oportunidade de participarmos do edital.
    AGAI já é um empreendimento de economia solidária, com certificação, que participa juntamente com outros grupos, da AVESOL, do Instituto Marista de Solidariedade e já tendo participação no Fórum Municipal de Economia Solidária de Porto Alegre – FMESPA.
    Como sua representante legal, enfatizo a grande necessidade de programas que vissem qualificar os membros desses pequenos grupos como efeito multiplicador dessa forma de economia. Somente através da qualificação profissional e gerencial é que esses grupos poderão manter e desenvolver uma consciência cooperativa empreendedora ampliando e viabilizando a economia solidária em rede ampla e produtiva.
    Por essa necessidade é que valorizamos e desejamos tanto participar dessas oportunidades.
    Agradecemos,
    Vera Monteiro
    Vice-Presidente AGAI

  15. Sou Erica de Nossa Senhora do Socorro/ SE. E iniciei minha caminhada no núcleo de ecosol do MTE/ SE, de lá fui secretária executiva do FEES/SE e da rede de educadores Sergipe pelo CFES. Em continuidade passei por cooperativas do estado, instituto cultural embaixada das artes, e na atualidade estamos com a proposta do Instituto Mult Saber, o primeiro instituto do município, e que visa trabalhar com os reias princípios da economia solidária. Desta feita esse curso vai contribuir e muito para o desenvolvimento de cada demanda, bem como na proposta dos departamentos.

  16. Oi pessoal!
    Quando surgir uma nova turma desse curso vocês podem me avisar?
    Muito obrigada.

  17. Gostaria de saber se haverá outra turma nesta ano, infelizmente só vi agora…

    • Olá, no primeiro semestre de 2019 devemos fazer a segunda edição do curso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*