População em Situação de Rua registrando sua história com Economia Solidária

Para o coletivo de trabalho NTE trabalho é muito mais que troca de mão de obra por dinheiro é garantia de direito, é dignidade. É nessa perspectiva que atua Núcleo de Trabalho Educativo (NTE) da Escola Municipal Porto Alegre (EPA) que atende pessoas em situação de rua. Com criatividade e autonomia os estudantes da escola produzem papel artesanal e peças de cerâmica.

Atualmente, o NTE participante do projeto Ecosol POP Rua criou sua marca: ArtEPApel. Elaborada de forma participativa entre os coletivos de papel artesanal e cerâmica.

Além da marca, os coletivos passaram por oficinas de incubação e fomento, para aperfeiçoamento de técnicas produtivas, diversificação de produtos, embalagem, comunicação, entre outros, nesta fase foram realizadas 37 oficinas. Anterior a esta etapa realizamos mais 29 oficinas nas quais trabalhamos direitos da população de rua, princípios da economia solidária, entre outras temáticas. Estima-se que passaram pelo projeto mais de 40 participantes.

O coletivo ArtEPApel a partir do projeto Ecosol Pop Rua teve a possibilidade de conhecer   e participar de  uma capacitação no Atelier  Katia Schames  que é uma escola de artesanato que oferece cursos de modelagem e esmaltação em cerâmica, além de exposição e venda de peças.

Ainda, durante o projeto o coletivo produziu uma série fotográfica denominada “Cruzamentos: da Cidade ao Rio”, na qual foi registrado diversos ângulos do Rio Guaíba. Para captação das imagens foram realizadas saídas de campo e que resultaram em 27 imagens das quais foram impressas em cartões postais e fotografias em tamanho grande para exposições. A comercialização dos cartões postais e fotografias revertem em recurso direto para os participantes.

Para o fortalecimento e sustentabilidade do ArtEPApel o coletivo, recentemente, participa do espaço de comercialização Contraponto, localizado no Campus Central da UFRGS, às terças-feiras com a comercialização de produtos e também de atividades formativas. Além disso, o coletivo é participante da Rede de Comércio Justo e Solidário da Fundação Luterana de Diaconia (FLD) na qual, também está incluso nas atividades de formação e comercialização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*